Revelada estrela com atmosfera de OXIGÊNIO

SDSS J124043.01+671034.68

aka Dox (Dee-awks);

Descoberta de uma estrela anã branca composta majoritariamente de oxigênio. Não se empolgue, no entanto. Não dá pra respirar numa gravidade que esmagaria seus ossos. Veja bem: a grande maioria das estrelas acabará por evoluir para uma anã branca, um objeto pequeno, quente, e extremamente densa feita de material restante do núcleo da estrela. A teoria da evolução estelar sugere que as anãs brancas devem ser feitos principalmente de hélio, carbono, ou oxigénio, mas mesmo uma pequena quantidade de hidrogénio ou hélio flutua à superfície e esconde a composição subjacente. Kepler procurou através de milhares de espectros de anã branca e descobriu que tem uma atmosfera dominada pelo oxigênio, sem contaminação por hidrogénio ou hélio. Este objeto intocado confirma a teoria de longo postulado e será um teste importante para a evolução estelar.

Fonte
http://science.sciencemag.org/content/352/6281/67

S. O. Kepler,*, Detlev Koester, Gustavo Ourique
1Instituto de Física, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 91501-900 Porto Alegre, RS, Brazil.
2Institut für Theoretische Physik und Astrophysik, Universität Kiel, 24098 Kiel, Germany.


Stars born with masses below around 10 solar masses end their lives as white dwarf stars. Their atmospheres are dominated by the lightest elements because gravitational diffusion brings the lightest element to the surface. We report the discovery of a white dwarf with an atmosphere completely dominated by oxygen, SDSS J124043.01+671034.68. After oxygen, the next most abundant elements in its atmosphere are neon and magnesium, but these are lower by a factor of ≥25 by number. The fact that no hydrogen or helium are observed is surprising. Oxygen, neon, and magnesium are the products of carbon burning, which occurs in stars at the high-mass end of pre–white dwarf formation. This star, a possible oxygen-neon white dwarf, will provide a rare observational test of the evolutionary paths toward white dwarfs.

Deixe um comentário